Edições anteriores

I Festival de Teatro Popular

 

A primeira edição do Festival recebeu o patrocínio da Caixa Econômica Federal e apoio da Secretaria Municipal da Cultura de Porto Alegre. Aconteceu de 5 a 11 de julho de 2010 e contou com dois grupos que são referências latino-americanas na formação do ator – o Yuyachkani do Peru e o Lume de Campinas. Ainda estavam na programação três espetáculos de Eduardo Okamoto de Campinas, o Coletivo Teatro da Margem de MG, o grupo Trilho e o grupo Bacantes. Também aconteceram demonstrações de trabalho, oficinas, debates, lançamentos e foram mostrados os processos de criação de oficinas.

II Festival de Teatro Popular

 

A segunda edição do Festival, apesar de não receber patrocínio, foi realizada com apoio do SESC RS. Aconteceu de 22 de junho a 2 de julho de 2011 com dois grupos de destaque do teatro contemporâneo – o Grupo Malayerba do Equador e a Cia do Latão de SP. Também está na programação a trilogia Memórias da Cia Estupor de Teatro da BA, a Coop. de Atores de Alegrete, processos de criação das principais escolas de formação de atores da cidade, além de painel, lançamento e oficinas.

III Festival de Teatro Popular

 

A terceira edição do Festival de Teatro Popular foi realizado com apoio do fundo Iberescena e da prefeitura municipal de Porto Alegre. Ocorreu de 4 a 16 de agosto de 2012 e teve a presença da Periplo Cia. Teatral da Argentina e do coletivo Pombas Urbanas de São Paulo. Ainda estavam na programação a Associação Cultural FACES e o Grupo Noscego, ambos do interior do estado do Rio Grande do Sul, e trabalhos das o cinas da Tribo de Atuadores. Foi uma programação repleta de espetáculos, oficinas e debates.

 

IV Festival de Teatro Popular

 

A quarta edição do Festival foi realizado com financiamento do Fundo Iberescena e apoio do Governo do Estado do Rio Grande do Sul e das Preifeituras Municipais de Porto Alegre, Canoas e Novo Hamburgo. Aconteceu de 19 a 28 de junho de 2015. Contava com a presença internacional do Teatro Taller de Colombia, Grupo Laboratorio de Teatro “EL RAYO MISTERIOSO“ (Argentina) e do grupo El Baldío Teatro (Argentina). Entre os grupos brasileiros se destacam o Caixa de Pandora (São Paulo) e INCLASSIFICÁVEIS (Florianópolis). Ainda teve uma ampla programação de ações formativas como oficinas de prática teatral, uma mostra dos trabalhos pedagógicos da Tribo de Atuadores, um painel sobre a formação do Ator e o teatro de grupo na América Latina.